10 maio 2010

Untitled (Iraq) 2009 de Richard Mosse



A Outra Face do Deserto

Soldados americanos fazem o gosto ao gatilho, disparando sobre tudo o que encontram no deserto à sua passagem.
Pura ironia...as formas assemelham-se a esculturas de Giacometti, Moore ou Richard Serra. A trilha sonora em voz-off, declama um rol de nomes de lugares do Iraque, alguns dos quais são imediatamente reconhecíveis por nós através de inúmeras notícias da guerra.

Isto, a propósito de um excerto que li do livro "No teu deserto", de Muiguel Sousa Tavares, num blogue de uma amiga, em que comentei e que disse que não era fan deste senhor,(ao contrário de sua mãe, a escritora e poetisa Sophia de Mello Breyner Andresen, 1919-2004)
Quem me conhece sabe ao que me refiro...

"ÀS VEZES, LÁ ONDE MORO, FICO À NOITE
  A OLHAR AS ESTRELAS COMO AS DO DESERTO
  E OUÇO O TEMPO A PASSAR,
  MAS NÃO ME ANGUSTIA MAIS"
  EU SEI QUE É JUSTO E QUE TUDO O RESTO É FALSO."

Concordo que à priori, o excerto do livro, até pode ser interessante.
Confesso também, que não li o livro...
...mas as palavras às vezes podem atraiçoar-nos...
Aqui fica a minha interpretação através deste vídeo...
...penso que se adapta melhor a MST...

                                 afonso rocha


  

3 comentários:

Memória de Elefante disse...

Afonso!

Adorei tua visita!
Parabéns pelas tuas duas cabanas,uma mais linda do que a outra.Esta o nome me fala tanto...RESPIRAR é bem assim que sinto quanto à poesia.
Não consegui ainda assistir ao vídeo(problemas técnicos)voltarei mais tarde!
Quanto à Sophia Andresen,sou fascinada pela poesia dela...!Quanto ao Miguel quero ler um livro dele para poder opinar melhor.

Um Abraço!

Delirius disse...

Afonso!

"O teu deserto"!

- Para a Cláudia, lá em cima, numa estrela sobre o Sahara -.

Após 20 anos sobre esta viagem de grupo, onde se conheceram, ele conta do sentimento nascido entre ambos que ele não quis valorizar..., porque inesperadamente recebe a noticia da morte dela acontecida 15 dias atrás...
Conforme tive já tive oportunidade de dizer-te, como pessoa, acho o Miguel frio, cortante e arrogante, por isso me emocionei com esta história contada na primeira pessoa, que ele guardara no seu segredo, até àquele momento!
E emocionou-me porque nunca imaginei aquela pessoa fria, e com ar cínico, tal como eu o vejo, a fazer um relato daqueles.

Foi só isso Afonso, lamento ter-te perturbado!
Eu estou aqui, neste momento, não para comentar-te, mas para pedir desculpa de ter-te magoado inadvertidamente! É a minha vez de te pedir que não olhes para este meu blog com tanta radicalidade...

Não me é alheia a crueldade da guerra! Sei que acreditas nisto!
Percebo que a tua relação com o deserto é algo que me ultrapassa, até que queiras falar-me disso! Também o deserto me fascina... espero que me fales dele!

Beijo. Até logo.

afonso rocha disse...

ANGELA!!!

Estou a começar a RESPIRAR...aos poucos.
Um dia talvez te conte acerca do meu respirar...
Mas deixei de tapar a boca...
Obrigado, pela visita.O blog é teu!!!!
Beijinho

DELIRIUS!!!!!!!

Pareço um puto de contente quando recebo um comentário sincero...
Mas penso que estás equivocada.

1º Não estou magoado contigo. Sê sempre assim comigo. Sincera. Adoro-te

2º A minha relação com o deserto não passa para além de umas férias em Marrocos. Por sinal, bem divertidas...com alguns episódios bastante cómicos ou talvez patéticos...

3º Não li o livro. Como não fazias referência alguma a ele, nunca pensei que fosse excerto, mas sim alguma frase esporádica do MST.
Por isso...me cheirou um pouco a falso. Como não gosto dele, acho-o tb frio, calculista, arrogante e outras coisa mais..daí a minha interpretação e colocar aquele video, como se o Muiguelito achasse a guerra justa...e tudo o mais...FALSO!!!!
Porque deste indivíduo...espero tudo!
Delírius queriduxa...eu é que peço desculpa...
Não sei como consegues aturar as minhas tontices...
Beijo