19 dezembro 2011

Atitudes Rotulares poema de Afonso Rocha / Wine by Christopher Cumingham



Atitudes rotulares


Ontem
bebi um bom vinho
Não me agrediu
Nem consta no rótulo
que seja agressivo
ou tenha mau carácter
apesar da sua elevada
estrutura

Anteontem
bebi um mau vinho
Empurrou-me
e caí
No chão da cozinha
insultei-o
Ficou irritado
porque não li
o seu perfil

                      afonso rocha

09 agosto 2011

Tuas palavras são os meus olhos - poema de afonso rocha / Música Bruna Caram - Palavras do coração



Tuas palavras são os meus olhos

Tuas palavras são os meus olhos
envoltos na bruma salgada

                              do teu mar
aguardo as ondas na areia macia
                              do teu sentir
e num afago inesperado
                              
                              mergulho
em tua seiva de todas as cores

Afasta de mim os meus medos
e faz teus os meus sonhos...

                                                                  afonso rocha

20 junho 2011

Teia - Poema de Afonso Rocha / Música de James Blunt - Goodbye My Lover




Teia

Recebi o punhal de mãos abertasE a salvação. Como quem recebe algo místicoMas com a sensação de presente envenenadoRoubaste-me o coraçãoDo peito aberto caem folhas secas, onde outrora dormiam frutos coloridos e docesRoubaste-me a seivaMeu corpo amolgado é prensado Restam apenas duas lágrimas. Uma de fel, outra de melRoubaste-me a matériaMas a vida renasceTransformado em húmusÁrvores gigantes com troncos hercúleos brotarão da terra negraOnde os escolhidos se abrigarão e serão amados.

Com sorrisos.

                                                                     afonso rocha

12 junho 2011

ESCRAVOS...NÃO - Poema de Afonso Rocha

video
  
                                Escravos...não

     
       Desço da ponte de mim onde as româs

              se abrem como uma flor suspensa de ti

              Olho com prazer teus mamilos eretos

              envoltos na bruma cinzenta da noite...

              Vislumbro nenúfares acariciando tua pele

              e fico seduzido pelo teu cheiro a terra...

              Aproximo-me enrolas-te tímida...

              e como amantes transformamo-nos

              em flor de lótus iluminando a noite escura

              Almas selvagens errantes sussurram

              na noite miragens que iluminam os dias

              onde corpos se fundem alucinados

              numa amálgama de frutos flores e sêmen...

              Onde os ramos de tangerineira

              formando coroas caem no abismo dos vivos

              perfumando o ar que respiram...

              Seremos deuses adúlteros ou selvagens

              escravos...NÂO


                    afonso rocha


27 maio 2011

O livro dos teus sonhos - Poema de Afonso Rocha / I had a dream - video de Ricky Sarkany



O livro dos teus sonhos

Respiro teu corpo
sofregamente
como se fosse
a última vez
nesta madrugada
plena de signos
inertes
embutidos
de madrepérola...

a voarem por entre as nuvens...

Que som é este
que ouço
no fim
do caminho
que percorro
incauto...

Que melodia
envolve meus poros
meu coração
se abre
e minha alma
se desnuda...

Deixa-me beijar
teus pés nus

Fantasia de mulher
onde meus lábios
se afundam
nesse universo
fecundo...

Deixa-me
ser Eu
a deliniar
a rota
dos teus segredos...

abrir o livro
dos teus sonhos...
e fazer deles
jardins de Babilónia

                                                                             afonso rocha

18 maio 2011

AMEI - Poema de Afonso Rocha / Que nunca caiam as pontes entre nós - Pedro Abrunhosa




AMEI


AMEI A PAELLA!!!!!
AMEI O VINHO !!!!
AMEI O XEREZ...
DIGESTIVO....

E AGORA
SÓ...
CONTEMPLATIVO
DEITADO NO CHÃO
SEM DÓ
DE MIM
COM CHAMPANHE
E
MORANGOS
FAÇO TCHIM TCHIM...

MINHA COMPANHIA
QUATRO CDÊS
ABRUNHOSA
HANCOCK
MILES DAVIS
ELIS

E EU...
COMO UMA RÊS
EM ÁFRICA
NA GORONGOSA
GRITO
A SÓS...

A CIDADE
É MINHA
PORQUE
OS MEUS OLHOS
ENXERGAM
A 360 GRAUS
E VEJO-TE
DESDE O SUL
ATÉ MANAUS...
MADRID
SAO PAULO
SAO PAULO
MADRID

E NO CHÃO
UM HOMEM
QUE RI
NÃO
COM A BOCA
MAS SIM
COM O CORAÇÃO...

E COMO MARINHEIRO
Á DESCOBERTA
DEIXO A PORTA ABERTA
DESFAÇO TODOS OS NÓS...
PORQUE NÃO HÀ PONTES
ENTRE NÓS!!!!

                       afonso rocha

13 maio 2011

Sou ou não Sou...eis a Questão - Poema de afonso rocha / Videos - Caravelas Portuguesas ou Garrafa azul



Sou ou não Sou...eis a Questão

Detesto o estado de embriaguez e durante a minha curta estada nesta Terra não foram muitos os que apanhei.

1-Conscientemente.

A necessidade de irmos mais além...a sensação do abismo sem no entanto percebermos a fronteira delimitada entre o caos
e a necessidade interior de sentir o pulsar do seu próprio coração.

Coração que sente,
coração que berra,
coração que pede paz

que se deixa ficar na sua própria memória intemporal, amarga, esverdeada...como fel.

O espaço entre a sanidade e a loucura é algo tão ténue que deixa de ser doloroso e no entanto
nos fere até o mais profundo da alma...criando uma consciência aparte como um semi-Deus em que nos agarramos visceralmente, ficando-se dependurado como uma massa inerte tipo matadouro municipal.

A adoração per si, não é mais que o seu estado lamentável, execrável...tecendo os seus próprios medos e ao mesmo tempo afundando-os no esquecimento de si.

A linha débil da vida...que se quer simples e complicada ao mesmo tempo, sem no entanto ser nem uma coisa nem outra.

Uma amálgama em que os seus componentes se interrogam, se enfurecem, se ferem...
até o sangue jorrar por todos os poros, antes do apaziguamento final, fedendo a selva irracional.

 
2-Sou um ser desprezível.

Espreito para o interior do meu corpo por uma fresta de luz e observo um amor imperativo que me cega e de olhos faltos caio por terra beijando grão a grão e me transporta para outra realidade.

A ausência de visão faz com que meus dedos se tornem autonomos, esponjosos e mergulhem no novo corpo.

Sou afinal uma caravela portuguesa...descendente das grandes medusas...das aguas-vivas que enroladas nas ondas se espraiam mas ao contrário das primitivas de cor azulada e perniciosas, emito afetos.

Tenho uma alma de luz que dôo sem escolhas a todos os seres em meu redor.

A sua plástica narcísica cessou de viver.


                                                                      afonso rocha

24 abril 2011

Sou um ser racional - Poema de afonso rocha / Chocolate Bunny by Lernert & Sander



Sou um ser racional

Sou
de chocolate...
mas
não coelho

Sou
doce como acúcar...
mas 
não amêndoa

às vezes
amargo...
mas
uma delícia
que vicia
no tempo

O amor
me d
    e
     r
              r
        e t e...

                                                       afonso rocha

17 abril 2011

Terroir - Poema de Afonso Rocha / Música Lilac Wine - Jeff Buckley



Terroir

Quando bebi
a última gota

pensei em ti
bem madura
doce

como uma passa de uva
e na nossa efemeridade

e de como ele
o vinho
era uma
amálgama
do teu corpo
e do meu sentir

personalidade forte
com caráter
expansivo
aromas florais
excelente terroir
otimos taninos
e
bom prolongamento
de boca

Quanto melhor for
ele
o vinho
mais sedutor se torna
para um prazer
inigualável
de nós

Unique

E hoje
quando olho
para a garrafa
vazia
dou por mim
a cheirá-la...
na esperança
de um odor...
que me leve até países distantes...

onde a madrugada se espreguice
na areia molhada da praia
o cheiro a maresia se confunda
com o nascer do Sol...
e a espuma das ondas
beije meus pés nus...

A sensatez que Deus me deu
e a calmaria do Mar
são o Sal da minha língua...


                                                                   afonso rocha

12 abril 2011

BASTA UMA FLOR - Poema de afonso rocha Video - Diamond_Flower by Asuka Ashizawa



Basta uma flor

Basta uma flor
uma só

no meio

de massas informes de pedra
no cimo da jazida
cinzenta


Basta uma flor
uma só 

                      iluminar

com seu encanto
e persistência
um só bloco


Basta uma flor
uma só
                     
                                    para transformá-lo

no melhor
diamante
por lapidar


Basta uma flor
uma só

                      esculpir

com seu carater puro
qual Miguel Ângelo
................................
e surgir
como por magia
outra flor

                         ainda mais bela
                                                diamantada.


Basta uma flor

                      Uma
                      Só

                                                        afonso rocha

05 abril 2011

SOU UMA ÁRVORE - Poema de afonso rocha























Sou uma árvore

Sou uma árvore
onde os ramos se debruçam
para lamber o chão de lama...
as serpentes fazem ninho
e as centopeias gritam
meu nome

As raízes alicerçadas
no genesis do saber
não são mais as mesmas
tornando-se obtusas
na passagem da seiva...

...e as folhas renovadas
que despontam
como pontos de luz
logo se apagam

......................

...e o ciclo ininterrupto
que brota da Terra
em direção ao Céu...
espera ansiosamente
a nova árvore...
gerada da semente
também ela...
             gasta e parda...

                                                                afonso rocha

23 março 2011

Vida Interrompida - poema de Afonso Rocha / Video "as árvores" - música de Arnaldo Antunes




Vida Interrompida

O cheiro das camélias e dos jacarandá
na minha cidade
na minha rua
à porta de minha casa
já não são os mesmos...

Uma serra degoladora
fez defuntas muitas árvores

                                                          afonso rocha

19 março 2011

VOO FORÇADO - poema de afonso rocha / Não desista - video do you tube



Voo Forçado

Desço os vinte degraus num lance único.
Certifico-me que a missiva está no bolso direito do casaco.
Não aguento mais e à velocidade de tsunami, caio no precipício.
Mais tarde, os telejornais darão a notícia de um homem que se suicidou.

O desmentido da polícia no dia seguinte, não deixa dúvidas:
o homem escorregou nas escadas.
A missiva que foi encontrada no seu bolso dizia sómente:

"Quero voar...aprender a voar...deixem-me voar..."
 
                                                                    afonso rocha

14 março 2011

MULHER - Poema de Afonso Rocha / Filme WOMAN by Emin Devrim Fidan



Mulher

No meu livro do tempo...
...ocupas todos os meus dias...
                           ...até ao segundo


Fazes parte da minha existência...
...e o tempo da minha Vida...
                           ...é todo Teu

                                                                              afonso rocha