27 maio 2011

O livro dos teus sonhos - Poema de Afonso Rocha / I had a dream - video de Ricky Sarkany



O livro dos teus sonhos

Respiro teu corpo
sofregamente
como se fosse
a última vez
nesta madrugada
plena de signos
inertes
embutidos
de madrepérola...

a voarem por entre as nuvens...

Que som é este
que ouço
no fim
do caminho
que percorro
incauto...

Que melodia
envolve meus poros
meu coração
se abre
e minha alma
se desnuda...

Deixa-me beijar
teus pés nus

Fantasia de mulher
onde meus lábios
se afundam
nesse universo
fecundo...

Deixa-me
ser Eu
a deliniar
a rota
dos teus segredos...

abrir o livro
dos teus sonhos...
e fazer deles
jardins de Babilónia

                                                                             afonso rocha

6 comentários:

Tereza disse...

Interessante o quanto pode um poeta transmutar-se em variados personagens... respira e sorve o corpo da amada como um provador de vinhos....busca tesouros recônditos e raros como se fosse um caçador de pérolas.... curva-se humildemente como um servo para beijar seus pés.... Desbravador de mares, de almas femininas, de incógnitas oníricas, para enfim realizar a fantasia suprema de transformar sonhos em jardins suspensos da Babilônia.... fantasias misteriosamente sensuais.... quem será a musa inspiradora?:)

OutrosEncantos disse...

parabéns Afonso!
são divinas as tuas postagens!

os vídeos!
os poemas...!

és afinal um artista completo e magnifico! estás a escrever divinamente bem. gosto muito.
beijo.

aurora disse...

puro néctar....

Fátima disse...

Respirar o corpo,
percorrer incautos caminhos
e fazer, de sonhos, suspensos jardins.

Plantar rosas, orquídeas, jasmins.
Flores... muitas flores!
E na mistura de cores perfumes sem fim.

Ouvir sons,
dançar os passos...
Beijar pés descalços
e tentar delinear rotas de segredos
Sem sentir medo de morrer de amor.

Que musa será essa?
Que apressa o poeta a escrever tão lindos versos
e deixar à mostra o reverso de todo o seu ser,
assim sem temer...
desnudo?

Se, no silêncio da noite, ela inspira poemas
e faz o poeta sonhar e percorrer caminhos incautos
e, sonhando, o poeta tira lhe os saltos e beija seus pés...
Deve ser uma bela MULHER!
O poeta não desejaria beijar os pés de alguém qualquer...
Creio que não!
Enfim, coisas de poeta!

E os sonhos ficaram suspensos no ar, assim como os jardins.

Com carinho
rosa
de Fátima

João Ludugero disse...

Adorei sua Poesia! Linda demais!
Gostei demais dos seus blogs. Maravilhosos!!!
Também venho aqui te convidar a visitar meu blog de poesias.
Se gostar e quiser me adicionar, vou gostar de ter por lá seus coments.
Grande abraço,
João, poeta.
Já estou te seguindo, de tanto que gostei de seus espaços tão encantadores!!! Voltarei de certo. Até logo mais!!!
www.ludugero.blogspot.com

© Piedade Araújo Sol disse...

sensual ee terno.
gosto!